Segunda-feira, 26 Setembro 2022
PortuguêsEnglishEspañol
NEWSLETTER
Você está aqui: Turismo e Cultura > Roteiros e Percursos
Viagem dentro da Vila

 

VIAGEM DENTRO DA VILA

Quem quiser conhecer melhor a vila pode ir vê-la de um sítio alto. E tem dois miradouros de privilégio para o fazer. O Miradouro da Fraga do Tostão ou de Nossa Senhora da Conceição, ao lado da estrada que sobe para Chavães, ou o Miradouro do Monte da Escrita, na estrada que sobe para Vale de Figueira.
A vila descobre-se inteira, lá do alto, estendida sobre os cimos do Calvário, do terreiro da Igreja ou do Arrabalde de S. Vicente, numa moderna malha urbana que se encostou à serra.

 

 

 

R. ANTÓNIO JOSÉ DE ALMEIDA

A viagem pode começar pelo sítio do Calvário. Este espaço sombreado por cedros de grande porte, percorrido por pequenos caminhos, recebeu a designação de Parque Abel Botelho. É um agradável lugar de passeio e dele pode ver-se, como de uma varanda, a sucessão das montanhas do Alto Douro e de Trás-os-Montes.
Para Sul e Poente estende-se, como invencível muralha, a Serra do Pedregal onde, desde há mil anos, se arranca a pedra das construções.
Ao descer do Parque, logo no topo norte da Avenida Marechal Carmona, fica a Capela de Santa Bárbara, encostada ao Cemitério. Dali desce a Rua 1º. de Dezembro, uma tranquila fila de residências; com a sobriedade de dois pisos e a estrutura de duas portas, uma larga, outra estreita, algumas delas lembram casas de judiaria antiga e foram organizadas para o comércio e a vida de família.
Sobre a direita desprendem-se várias ruas que, cortadas aqui e além, definem o traçado ortogonal desta parte mais recente da Vila. Primeiro, a Rua António José de Almeida, seguindo-se a Rua Abel Barradas e a Rua Conde Ferreira. Então, a Rua 1º. de Dezembro desemboca no extenso, mas apertado Largo 5 de Outubro, que é o Adro da Igreja Matriz. Ao centro encontramos um pequeno Cruzeiro, talvez no sítio do antigo pelourinho desaparecido.

 

 

IGREJA MATRIZ DE TABUAÇO

O visitante pode entrar agora na Igreja Matriz, de origem românica. Interessa reparar na sua fachada, na torre de dois sinos e no riquíssimo retábulo barroco da capela-mor. Dentro da Igreja são de salientar os altares dedicados a Nª. Srª. da Graça, Nª. Srª. das Dores, Cristo Crucificado e ao Senhor dos Passos.
No tecto da capela-mor, encontramos 28 caixotões, pintados com cenas da vida da Virgem e de Cristo Menino; na nave principal, contam-se oitenta caixotões pintados com imagens da vida de Cristo e de alguns santos e santas.
Voltando ao Adro, repare-se na linda varanda de madeira logo ao descer para a Rua Costa da Fonte que se abre, a sul, sobre o chamado Fundo de Vila.

 

 

FUNDO DE VILA

O Largo do Dr. Albano T. S. Sousa, um arejado espaço propício ao convívio, é também polo de articulação de imensa gente e do tráfego automóvel entre as principais artérias da vila.
No gaveto entre a Rua Costa da Fonte e a Rua Gomes Mota, um harmonioso solar setecentista de província mostra a delicadeza dos lavores barrocos nas janelas de avental. A Rua Gomes Mota abre-se para o Largo Dr. Victor Macedo Pinto, homenagem a um dos homens das mais distintas famílias de Tabuaço.
Daqui partiam antiquíssimos trilhos e ainda o caminho medieval que atravessa o Rio Távora, ao fundo do vale, e levava as gentes antigas ao Além-Douro. Esta rua, que entretanto recebeu a designação de Rua Eduardo Osório, leva ao pequeno bairro de S. Vicente, nascido à volta da capelinha desse Santo, que ali se venera desde o séc. XV ou XVI.
Propõe-se um regresso pelo mesmo caminho, pela Rua de S. Vicente, até à Travessa das Ameixoeiras onde se pode ver, quase ao dobrar da esquina, a casa onde nasceu o diplomata e escritor Abel Botelho (1856 - 1917), figura notável de Tabuaço. A casa, muito alterada pelo tempo mostra, como resíduos de arquitectura setecentista, a moldura das portas e de duas janelas de avental.
Fica adiante o Largo do Terreiro, para onde se abre a fachada nobre de um imponente solar setecentista. A vista sobre o Douro, colhida do Terreiro ou das janelas altas do solar, é soberba.

 

 

CÂMARA MUNICIPAL DE TABUAÇO

Do Largo do Terreiro sobe-se pela Rua da Calçada até ao adro da Igreja, pelo Largo 5 de Outubro e daqui corta-se à esquerda, pela R. Conde Ferreira, até ao Jardim Conde Ferreira. Num ambiente de grande tranquilidade, podemos visitar a Galeria Municipal de Turismo, espaço de informação e de realização ocasional de eventos culturais.
Depois do jardim, encontramos a Rua Macedo Pinto, onde a antiga Escola Macedo Pinto lembra o interesse da velha família pela instrução. Esta via corta a Rua António José de Almeida onde se ergue, logo ali à esquerda, a Câmara Municipal de Tabuaço, edificada a partir de 1913, e caracterizada por uma sóbria elegância.
Ao lado do edifício camarário, construíram recentemente o moderno edifício do Palácio da Justiça.

 

 

TEATRO LUÍS DE FREITAS

Subindo a Rua Macedo Pinto, estamos na Avenida Marechal Carmona, em cujo extremo se ergue o velho edifício do Teatro Luís de Freitas, uma espécie de Cinema Paraíso que a gente gosta de olhar.
No outro extremo, vemos a capela de Santa Bárbara sempre poética e o Parque Abel Botelho que oferece ao viajante uma sombra refrescante e a impressionante força da paisagem duriense, que mais uma vez se vê em toda a sua plenitude. E deste modo se encerra a viagem dentro da vila.

 

 

 

 

VISTA DO MIRADOURO

Um desafio interessante para concluir este percurso é subir ao Miradouro da Fraga do Tostão, ao fim do dia, para ver a sombra da montanha estender-se sobre os telhados vermelhos do casario. A brancura de Tabuaço recorta a sua silhueta sobre escadas de vinhedos, jardins, hortas e pomares. A montanha, por trás, ergue-se majestosa.
Os que tiverem a coragem dos caminheiros antigos podem ir estrada fora, atentos, até ao Fradinho. E sentirão ainda a mesma emoção dos personagens que Abel Botelho imortalizou no seu livro Mulheres da Beira, no começo do século.

 

 

VALE DE FIGUEIRA

A 5 Km de viagem de Tabuaço, podemos encontrar Vale de Figueira, uma pequena aldeia beirã meio afundada no vale entre pinhais, dividida entre searas de centeio, hortas e pomares.
Aqui podemos visitar a Igreja Matriz, dedicada a Nossa Senhora da Apresentação, de fins do séc. XVII, e o seu retábulo de talhas dos inícios do séc. XIX.
Na Fonte de Santa Maria podem ver-se mulheres ao fim da tarde conversando. Numa outra fonte de bica antiga, a dar para o caminho (Rua Nova), defrontamo-nos com a carantonha de um homem modelada há anos sem conta por um canteiro do lugar.
Digno de nota é também o Cruzeiro dos Centenários.
Vale a pena subir os lacetes de estrada que revela a cada momento surpreendentes paisagens. Mais espectacular ainda é a que se colhe do Miradouro do Alto da Escrita, a 2,5 Km. Depois é a Beira plena, de giesta, pinheiral, rochedos, umas Alminhas num outeiro e a pacatez da aldeia bíblica.